Tags

,

Victoria V 04

Alguns trechos de um discurso do Papa Bento XV onde ele fala sobre moda, vestuário e modéstia!

Consegui estes trechos com Julie Maria. Os grifos são dela. A Tradução é de Anna Amato.

Sabemos que certas modas de vestir, que entram hoje em uso entre as mulheres, são danosas ao bem da sociedade como aquelas que provocam o mal e de outro lado nos enche de assombro e estupor ao ver que quem proporciona o veneno, parece desconhecer a ação maléfica como quem incendeia a casa parece ignorar a força destruidora do fogo. Somente a suposição de tal ignorância, possibilita a explicação desta deplorável extensão que a moda pegou, hoje em dia, tanto contraria à aquela modéstia que deveria ser o ornamento mais belo da mulher cristã; sem a supra dita ignorância, parece-Nos que nenhuma mulher teria podido chegar ao excesso de usar vestidos indecentes, até ao aproximar-se dos lugares sagrados, ou apresentar-se diante de mestres da moral cristã.

Oh! com qual satisfação entendemos que as aderentes da União Feminina Católica, escreveram no programa, o propósito de mostrar-se honestas também na maneira de vestir. Fazendo isso, sentindo de seguir um dever de não dar escândalo mas de dar exemplo aos outros, demonstrarão de ter compreendido que a missão delas no mundo foi alastrando-se e devem dar o bom exemplo, não somente dentro das paredes domésticas, mas também no meio das ruas publicas e nas praças. Nós gostaríamos que as mulheres católicas, sentissem além da obrigação individual, o dever social e Nós gostaríamos que as mulheres católicas hoje aqui reunidas diante de Nós se juntassem para combater as modas indecentes não somente entre elas mas que esse trabalho possa alcançar pessoas e famílias.

Seria supérfluo dizer que uma boa mãe não deve permitir que as filhas cedam às falsas exigências de uma moda não muito apropriada, e quanto mais elevado for o lugar que essa ocupa tanto menos deve tolerar de que quem vai visitá-la ousa ofender a modéstia com a indecente maneira de vestir. Uma advertência impediria no futuro a audaz impertinência de transgredir os direitos de hospitalidade.

Original aqui.