Tags

, , , ,

vida

Continuando com a retrospectiva da imodéstia 2009, vejamos outro hit do ano que passou: os decotes.

Não é de hoje que as mulheres têm usado decotes reveladores. E em 2009 não poderia ter sido diferente, já que as pessoas continuam as mesmas e a indecência é cada vez maior.

O mundinho fashion deu gritinhos de alegria ao expor pelos tapetes-vermelhos da vida os mais ousados decotes. Mas para aqueles que buscam a virtude da modéstia tal estilo de vida não pode servir de modelo.

Castidade? Modéstia? Pureza? Recato? “Ah, isso é coisa do passado, é puritanismo, é machismoqual o problema em um decotezinho de nada? Só um pedacinho do busto, só uma polpinha de nada! Que bobagem, que radicalismo”, dizem os modernosos. É mesmo?

Diz o Compêndio de Teologia Moral:

“As partes desonestas do corpo são os órgãos genitais e as regiões vizinhas; as partes menos honestas são os seios, os braços e os flancos; as partes honestas são o rosto as mãos e os pés”.

(…)

Olhares longos e deliberados, sobre os órgãos genitais ou sobre os seios de uma mulher embora cobertos de véu ou tecidos quase transparentes (…) constituem facilmente pecado mortal porque excitam o prazer venéreo.”

(P. Teodoro da Torre Del Greco. Teologia Moral. Pecados Externos de Impudicícia. Pg. 262,263)

Depois de ler tais trechos, o que podemos dizer sobre as pessoas que não vêem nada de mais em mulheres usando decotes que mostram os seios ou que insinuam mostrando um pedacinho, através da abertura do decote, de transparências ou roupas coladas? Tal tipo de comportamente facilita ou não facilita o pecado? Sabendo que os homens são mais orientados visualmente – é algo biológico -, que guardam facilmente imagens em suas mentes, está de acordo com a moral cristã deixar partes dos seios expostas? Insinuar os seios? Expor fotos decotadas?

Não é questão de dizer: “hoje em dia pode, todo mundo usa…“. As Leis de Deus não mudam e a cabeça do ser humano não mudou também. Continua sendo chamativo o busto da mulher, por mais que queiram disfarçar os moderninhos de plantão ou por mais anestesiados que estejam alguns. A partir do momento que as pessoas se voltam com mais profundidade para a vida espiritual, passam a perceber a importância da moral e logo notam que há algo de muito errado com as modas decotadas de hoje.

Logo, para os católicos, decotes não são brincadeira, pois mostram partes do corpo que não devem ser mostradas em público. Hoje as mulheres usam decotes e roupas transparentes ou muito justas que evidenciam os seios, que insinuam. Tiram fotos assim e se expõem às vistas alheias até mesmo na internet, para o mundo inteiro ver. Como tal comportamento pode ser algo inocente, sem prejuízo para a alma? É mais do que óbvio para quem despertou mais de sua consciência moral que o uso de decotes como os citados aqui são prejudiciais para a vida espiritual.

A beata Jacinta Marto, em 1917, já reclamava dos decotes:

O que mais a fazia sofrer, porém, era ver algumas enfermeiras ou outras pessoas que vinham visitar os doentinhos, atravessar a sala num trajo pouco modesto.

– Para que serve tudo aquilo? – dizia referindo-se a determinados enfeites e decotesSe soubessem o que é a eternidade!…”

Em suas conversas com Nossa Senhora, a pastorinha aprendeu sobre modéstia e revelou aos que têm “ouvidos de ouvir” o que pensa “a mãe do meu Senhor” (Lc 1, 43) sobre as modas que viriam:

“Os pecados que levam mais almas para o inferno, são os pecados da carne. Hão de vir umas modas que hão de ofender muito a Nosso Senhor. As pessoas que servem a Deus não devem andar com a moda. A Igreja não tem modas. Nosso Senhor é sempre o mesmo. Os pecados do mundo são muito grandes. Se os Homens soubessem o que é a eternidade, faziam tudo para mudar de vida. Os Homens perdem-se, porque não pensam na morte de Nosso Senhor e não fazem penitência.”

Mas para o mundo não há nada demais em aparecer decotada em público. Vários sites dedicados à moda fizeram enquetes para saber quais foram as celebridades mais bem vestidas do ano e, até onde eu vi, todas estavam decotadas expondo partes dos seios para o desfrute da rapaziada de plantão.

Não podemos servir a dois senhores. Modas como as de hoje, que expõem aos olhos do público o que deve ser resguardado, que mostram partes íntimas, não deveriam nunca ser usadas, muito menos por católicos.

Ouçamos a voz dos bem aventurados e deixemos de lado as indecentes modas do mundo. Estas não são feitas para os filhos de Deus.

vida