Tags

, ,

Por Gabriella

Traduzido por Andrea Patrícia

Padre Pio levava muito a sério as virtudes da pureza, colocava, já no seu tempo, à dura prova aquelas que primavam por se apresentar usando vestidos decotados e saias curtas. Ele era, de fato, bem consciente dos efeitos nocivos da moda indecente, que induz muitas almas a cair em pecado grave.

São Pio exercitou ao longo de toda sua vida as virtudes da pureza em grau heróico e, sabendo o valor elevado para a realização do Reino dos Céus, exigia que os outros a conservassem zelosamente também, e se preservassem intactos de qualquer mácula do pecado.

Sobre a mulher Padre Pio tinha um conceito muito elevado, o que o levou a denunciar qualquer coisa que denegrisse e aviltasse a dignidade das mulheres e as reduzisse a um mero objeto de prazer, especialmente a moda. Mesmo antes dos anos sessenta, quando não imperava ainda a moda da minissaia, prevendo as tendências futuras na moda que as mulheres iriam usar, Padre Pio estava preocupado em incutir o amor à modéstia e à decência no vestir. Exigia, portanto, de modo intransigente, que as mulheres estivessem vestidas decentemente, como convém a um povo temente a Deus, tomando como referência de conduta a Nossa Senhora, um excelente modelo de imaculada pureza. O Santo sofreu bastante com as modas escandalosas, que chamou de “um mal terrível” para as almas, porque conduz os homens ao pecado, aos maus pensamentos e desejos turbulentos. Ele não podia suportar que as mulheres mercantilizassem seus corpos vestindo-se de forma provocante para atrair a atenção do sexo masculino.

Padre Pio levava tão a sério o problema da pureza nas regras de conduta cristã no que diz respeito ao vestuário que estas também se tornaram alvo de cartas para seus filhos espirituais.

Entre seus muitos escritos, lemos:

“As mulheres que procuram as vaidades do vestuário nunca poderão vestir a vida de Jesus Cristo, pois logo que esse ídolo entra em seus corações perdem cada um dos ornamentos da alma. Seu vestuário, assim como São Paulo quer, deve ser decentemente e modestamente adornado, sem nenhum tipo de roupa que tenha um toque de luxo e ostentação do fausto”.

Nisto, o santo de Gargano, retomava maravilhosamente a mensagem de Nossa Senhora de Fátima, que tinha anunciado para a bem-aventurada Jacinta, a mais jovem dos três pastorinhos, a vinda de modas que ofenderiam Nosso Senhor.

Todas as filhas espirituais de Padre Pio seguiam o seu conselho sincero para alongar a barra da saia até depois dos joelhos para contrabalançar o mal que faziam as outras mulheres que usavam saias e vestidos indecentes. No confessionário, Padre Pio muitas vezes bateu a porta na cara dos penitentes que apareciam usando vestuário impróprio para a sacralidade do lugar…

Repreendeu com dureza mesmo aquelas mulheres que para aparecem à sua frente, abriam o fecho da saia para puxá-la para baixo e fazê-la parecer mais longa. Muitas vezes ouvi frases como: “Palhaça…”, “vista-se como uma cristã!”, “desgraçada, vá se vestir!”, “serre seus braços … porque você sofre menos do que aqueles que sofrem no Purgatório … a carne descoberta vai queimar!”

Um dia, uma senhora, para se confessar com ele, ocasionalmente alongou a saia, mas notei que o Santo mandou-a embora.

Na parte da tarde a mesma senhora foi apresentada ao Padre, como uma grande benfeitora, e ele disse: “Desculpe, esta manhã, eu dei-lhe o fora, mas agora, Senhora, eu farei novamente o mesmo”. Mas a senhora, que tinha aprendido a lição, agradeceu-lhe gentilmente a repreensão.

Nem mesmo os homens saíam ilesos da cruzada de Padre Pio pela decência no vestir. Para um homem que tinha entrado para se confessar com ele usando uma camiseta sem mangas, chamou com uma firmeza que não admitia réplicas: “Vá-se, ou você alonga as mangas ou corta os braços!”

Eu quero que todos vocês, meus queridos filhos espirituais, combatam com o exemplo, e sem respeito humano uma santa batalha contra a moda indecente. Deus estará com vocês e irá salvá-los! As mulheres que procuram as vaidades do vestuário nunca poderão vestir a vida de Jesus Cristo, perdem cada um dos ornamentos da alma, logo que esse ídolo entra em seus corações. Cuidado com qualquer vaidade em suas roupas, porque o Senhor permite a queda dessas almas por causa dessa vaidade.”

São Pio de Pietrelcina

 

Original aqui.