Tags

, ,

Vaidade: sempre incentivada nos dias atuais.

As vestes do corpo, o riso dos dentes e o modo de andar de um homem fazem-no conhecer

(Eclesiástico 19, 27).

 

Os parâmetros que são exaltados hoje no mundo não condizem com o que a Igreja, nossa Mãe e Mestra, ensina. Hoje se exalta a sensualidade, a vaidade, o hedonismo, o individualismo. Todos estes são problemas do homem moderno. Problemas que atrapalham o ser humano na busca daquilo que é mais importante: Deus e sua santa vontade!

Deus nos quer puros[1]. E na busca pela pureza enfrentamos muitos obstáculos, sofremos todo tipo de pressão para sermos imodestos: são milhares de imagens indecentes espalhadas pelos websites, bancas de jornais, postes de rua, cinema e televisão; são piadas e historinhas obscenas, conversas e músicas maliciosas e despudoradas, roupas e modos provocantes, enfim, o que não falta é incentivo para viver impuro. Como faremos? Fugir do mundo não é possível. Temos então que buscar nos fortalecer através da oração e das práticas que a Igreja oferece como sendo importantes para a nossa alma. Também temos que buscar saber o que a Igreja ensina sobre a pureza e a modéstia. Assim iremos nos fortalecer para as batalhas. Sim, porque vivemos uma guerra nos dias atuais. São “tiros de impureza” por todos os lados.

Uma boa proteção nesta guerra, um escudo de defesa, é a modéstia[2]! Quando nos resguardamos através de nosso vestuário, de nossos modos e maneiras de andar, sentar, parar, falar, nós estamos dificultando o “trabalho” da impureza e facilitando o nosso aperfeiçoamento espiritual. Agindo com modéstia nós enviamos uma mensagem ao mundo: “queremos ser respeitados, queremos ter nossa intimidade reservada. Não queremos fazer parte de um reality show onde nossas vidas íntimas e nossos corpos ficam expostos aos olhos do público”.

As modas, as festas, os filmes, as músicas, tudo isso passa e um dia teremos que prestar contas a Deus daquilo que fizemos, pensamos, fomos. Neste momento nenhum daqueles que incentivam você a ser sexy, a parecer rico, a ser rebelde, vão estar lá para te apoiar. Vai ser só você e Deus. É importante pensar nisso.

As pessoas hoje estão tão mal acostumadas com a indecência que acham normal a exposição dos corpos. Mas não é. Se estudarmos um pouco o que diz a Igreja veremos que o mundo oferece veneno. A Igreja oferece o antídoto necessário para nos curarmos e os escudos para nos protegermos:

“Estes meios são: disciplina dos sentidos e da mente, vigilância e prudência evitando ocasiões de pecado, a observância da modéstia, moderação na recreação, ocupações saudáveis, oração assídua e recepção freqüente dos Sacramentos da Penitência e da Eucaristia. As pessoas jovens especialmente deveriam nutrir seriamente devoção à Mãe Imaculada de Deus e ter como exemplos as vidas de santos e outras pessoas fiéis, especialmente os jovens que se superaram na prática de castidade.” [3]

Escutemos docilmente os conselhos da Igreja e poderemos ser puros e modestos como Deus deseja!


[1]Porque esta é a vontade de Deus: a vossa santificação; que eviteis a impureza. I Tes 4, 3

[2] “A modéstia é a guardiã da castidade” e, portanto da pureza segundo a Doutrina católica. (Cf. n. IX Declaration on Certain Questions Concerning Sexual Ethics (Declaração sobre algumas questões de Ética Sexual), Sagrada Congregação para a Doutrina da Fé, 29 de dezembro de 1975. (Tradução do Vaticano, L’Observatore Romano) . Também o Papa Pio XII nos ensinou que a nossa modéstia deve ser “conhecida por todos” ao falar sobre a moda: “Moda e modéstia deveriam caminhar juntas como duas irmãs, porque ambos os vocábulos tem a mesma etimologia; do latim “modus”, quer dizer, a reta medida além e aquém da qual não se pode encontrar o justo. Mas a modéstia não é mais moda! Muitas mulheres, como aqueles pobres e tolos que perderam o instinto de auto-conservação e a noção do perigo e se atiram no fogo ou nos rios, esqueceram da modéstia cristã por vaidade e ambição: vão miseravelmente ao encontro de perigos onde sua pureza pode encontrar a morte. Se entregam à tirania da moda, até da moda imodesta, como se não suspeitassem mais, nem mesmo da sua inconveniência; perderam o próprio conceito do perigo, perderam o instinto da modéstia. Para ajudar estas pobres mulheres a reconhecer o seu dever servirá o seu apostolado, sua cruzada no mundo: ‘modestia vestra nota sit omnibus hominibus Dominus prope’” (Fil 4, 5)”S.S Pio XII 6.10.09

[3] Idem n. 2